Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mãe de duas estrelinhas

Mãe de duas estrelinhas

12.Out.18

Uma carta direta para o céu #2

"Olá minhas Marias.

Já não vos escrevo desde Agosto, quando vos fomos visitar. Conversamos muito mas, às vezes, sinto necessidade de escrever. Como já devem ter percebido tenho tido muitos altos e baixos, ando mais ansiosa. Nem sempre consigo manter-me forte e há coisas que inevitavelmente mexem comigo.

Antes de ter engravidado de vocês, o médico aconselhou-me a perder peso, e tinha razão. Estava muito acima do que devia, muito gordinha, e ele estava a pensar no meu bem. O foco era sermos pais, queria muito engravidar e, com algum sacrifício, mas muita satisfação a mamã perdeu 10kg e ficou em forma. Talvez isso também tenha ajudado a engravidar tão rápido. E depois vieram vocês as duas. E sem dúvida que o facto de ter perdido aquele peso todo que ajudou a ter as coisas controladas. Não faço ideia do peso final quando vocês nasceram, mas nessa altura nada mais interessava a não ser vocês as duas. Eram a nossa única preocupação.

Durante um ano e meio, as tentativas de voltar a perder peso foram muitas, mas os objetivos a que me propunha foram sempre à vida. A mamã fraquejou sempre. Bem que tentei casar com o papá em versão "top model", mas ele casou mesmo com a mamã gordita. Depois vieram as férias e a coisa ainda piorou. E voltei ao trabalho, entusiasmada com o novo projeto a que me tinha proposto. Mas no mesmo dia aquela senhora fez-me aquela pergunta tão inconveniente "Estás grávida? Há por aí bebé?" com os olhos postos na minha barriga gordinha, que até estava bem disfarçada com uma camisa larga. Eu apenas fui capaz de responder "Não, estou gorda". Não sei quem ficou mais incomodada com a situação. Ela desfez-se em desculpas esfarrapadas para aquelas perguntas tão inconvenientes. Mas a verdade é que as fez. E houve mais olhares, mais perguntas ao longo dos dias. E eu fiquei igualmente incomodada. Mas de outra forma. Doeu, magoou e eu deixei-me afetar. Pelos dois motivos. Vocês perceberam tão bem isso que há uns dias tive a sensação que me enviaram um sinalzinho. Está la guardado na mesinha de cabeceira. Do lado da mãe. Do lado do pai, lá está o vosso coelhinho. É assim que nos sentimos pertinho.

As mulheres às vezes são mesmo duras umas com as outras. E sabem bem as "lutas" que todas nós passamos. Seja com o peso, seja para engravidar, ou outra coisa qualquer. Ela não tinha de saber que eu não lido bem com a questão do peso. Ela não tinha de saber que eu apenas tenho duas estrelinhas. E que vos quero dar um irmão/irmã, e ainda não aconteceu. Não tinha de saber nada disso. Mas acho que também não tinha o direito de invadir o meu "espaço" daquela forma. Eu era incapaz de dizer ou perguntar o que quer que seja. Não só pelo que passei, mas por saber a dimensão que uma pergunta dessas numa mulher pode atingir. E não acho que tenha esse direito.

Mas a mamã vai fazer um esforço para andar mais calminha. Para acalmar este coraçãozinho que anda sempre tão apertadinho e tão ansioso. E vai fazer um esforço para voltar a pôr esta cabecita no sítio. E quem sabe, no meio de tanto esforço, consiga ficar em forma. Mas sem promessas. Porque já sabem como a mamã é a lidar com a frustração. Péssima.

Só há uma promessa que vos consigo fazer. Que o amor, assim como a saudade, serão eternos.

Um beijinho e um xi bem apertadinho, com amor e saudade,

A mamã Sara

 

PS: Deixo-vos a imagem de quando a mamã estava bem gordinha, com vocês as duas no quentinho, e sentia que nada mais importava, só vocês "

0aa6b5d8-f5bf-4e99-8115-7e925f1878de.jpeg

 

 

 

4 comentários

Comentar post